Home Destaques Franquias tipo exportação

Franquias tipo exportação

No ano passado, o número de marcas presentes no exterior aumentou em 12%; Redes de franquias contam sobre o projeto de expansão e os países mais propícios a receberem operações brasileiras

por Rodrigo Campelo
Franquias tipo exportação

Muitos estão achando o mercado brasileiro pequeno. Outros acreditam que ainda tem espaço para crescer aqui e lá fora também. E assim anda o mercado de franquias tipo exportação. Vai muito além da vontade do franqueador. É muito comum encontrar brasileiros, radicalizados em outros países, querendo empreender em negócios nacionais, o que se torna uma porta de entrada para redes de franquias do Brasil que querem ultrapassar as fronteiras e conquistar novos mercados.

Especialistas orientam que o primeiro passo para quem pensa em abrir uma franquia brasileira no exterior é necessário conhecer a marca; verificar se o produto/ serviço é vantajoso para região de atuação, como os costumes do povo local, além de analisar cuidadosamente o suporte que a franqueadora oferecerá a distância.

Já para as marcas, com uma boa estratégia a internacionalização tem se tornado uma forte tendência de sobrevivência, principalmente para negócios com um certo grau de maturidade, boa gestão e valor de investimento atrativo.

Dados da ABF (Associação Brasileira de Franchising) referente a 2021 apontam que 183 marcas brasileiras estão presentes no exterior, ou seja, 20 a mais que no ano anterior, tendo o Estados Unidos liderando a lista com 69 franquias brasileiras; Portugal (51) e Paraguai com 44 franquias em atuação. Ainda segundo a Associação, houve um crescimento de 12% com unidades próprias, franqueadas, masterfranqueados, desenvolvedor de área, exportação ou joint ventures (empreendimento conjunto). Novos países também passaram a contar com o franchising brasileiro, passando de 106 para 114.

Projeto experimental

Franquias tipo exportação Quem está de malas prontas para começar um novo negócio nos Estados Unidos é a franquia Via Certa Educação Profissional. Este ano, a marca colocou em prática um sonho antigo, o projeto de internacionalização.

O diretor de expansão da rede, Jilo Shimada, explica que o trabalho do franqueado se dará nesse primeiro momento de forma experimental, com a venda de cursos profissionalizantes direcionados exclusivamente aos brasileiros que moram nos Estados Unidos, não se limitando apenas a uma cidade. Diferentemente do que ocorre no Brasil, o modelo de negócio será totalmente online e será comandado por um casal de brasileiros diretamente da cidade de Deerfield Beach, no sul da Flórida.

Há uma década no mercado, a Via Certa soma 50 lojas físicas em oito estados brasileiros. Do mesmo modo que os EUA, Shimada revela que países como Portugal e Angola também são interessantes para o que a Via Certa tem a oferecer. “Estamos em fase experimental, mas baseado no potencial de crescimento do negócio no seu mercado. A rede projeta abrir ao menos três operações no exterior até o final de 2023”, pontua Shimada.

Para empreender no exterior é necessário investimento de R$ 20 mil, com possibilidade de faturamento médio de R$ 30 mil. Os cursos serão EAD e assim que o aluno for matriculado receberá de imediato login e senha para iniciar os estudos.

A expectativa é alcançar ao menos 10 matrículas nesse primeiro momento, e ir crescendo gradualmente. Para isso, o franqueado apostará em estratégias de divulgação em redes sociais e na busca de leads através de parcerias com empresas brasileiras, indicação de alunos, entre outros.

Alimentação fora de casa

 A FiChips Food, maior rede brasileira especializada na culinária inglesa com o fish and chips, dois anos após se lançar no franchising abriu sua primeira unidade internacional, em Lisboa (Portugal). A similaridade da língua contou pontos para o interesse da marca em levar o produto aos portugueses.

Apesar da inspiração do prato ser europeu, o negócio da FiChips é voltado ao paladar brasileiro, por isso foi necessário ter algumas adaptações para levar o negócio para fora do Brasil e a estratégia tem dado certo!

Hermes Bernardo, fundador da marca, conta que abrir uma franquia de alimentação fora do seu país de origem não é tarefa fácil. Tanto que durante meses ele estudou a cultura local para fornecimento do produto, bem como a logística. Com 90 unidades no Brasil, a FiChips já tem investidores interessados pelo negócio nos Estados Unidos e na Austrália. “Em breve teremos novidades. A expectativa é continuar crescendo não somente no Brasil, mas também no exterior. Estamos otimistas com esse novo cenário, por isso estamos de olho em novos mercados para continuar crescendo”, enfatiza o CEO da FiChips.

=======================================================================================================Gostou deste conteúdo? Visite o portal, e descubra que existem muitas informações importantes que podem te ajudar a tomar a melhor decisão na hora de empreender.  Compartilhe com amigos e familiares e siga a gente nas redes sociais. A Negócio e Franquia está no Instagram, no Linkedin.  Você pode acompanhar no canal do Spotify e até mesmo baixar as músicas do Playlist do empreendedor. Se inscreva no Canal do Youtube e acompanhe a coluna independente na Rádio Super FM.

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Ler mais

×

Hello!

Click one of our contacts below to chat on WhatsApp

×