Home Notícias Corporativas Itália: PL sobre cidadania segue sem previsão de votação

Itália: PL sobre cidadania segue sem previsão de votação

por DINO
0 comentário

Protocolado no Senado italiano em 22 de junho de 2023, o PL (Projeto de Lei) 752 que pode tornar mais difícil o processo de reconhecimento de cidadania segue sem previsão de votação. Segundo o deputado Fabio Porta (Partido Democrático), a proposta está parada no Senado. O parlamentar acha pouco provável que a proposta seja aprovada, conforme posicionamento do político, veiculado pelo jornal GZH.

De acordo com o “Disegno di Legge” 752, publicado pelo senador Roberto Menia (partido Fratelli d’Italia), vice-presidente da Comissão de Relações Exteriores, uma vez em vigor, seria obrigatório comprovar a ascendência em linha reta até o terceiro grau de cidadãos italianos nascidos ou residentes na Itália.

Além disso, o texto prevê que o requerente possua fluência na língua local ao menos no nível B1, considerado intermediário. Para as solicitações além do terceiro grau, por sua vez, o projeto determina que os interessados comprovem que moram na Itália por, pelo menos, um ano ininterrupto. O texto busca alterar a lei 91, de 5 de fevereiro de 1992.

Ainda conforme declaração de Porta, o projeto apresenta falhas jurídicas e deve ser trabalhado, inicialmente, pela própria Comissão de Relações Exteriores, e aprovado pelos senadores antes de passar para a análise dos deputados, que podem aprovar, ou não, o texto de Menia.

banner

Na visão de Lilian Ferro, CEO da Simonato Cidadania – consultoria para o reconhecimento de cidadania italiana -, o projeto que busca alterar a lei de reconhecimento da cidadania do país europeu é inconstitucional.

“Existe uma história da Itália junto ao Brasil de imigração, história essa que é importante na construção tanto de quem a Itália é, hoje, quanto para quem o Brasil é”, afirma. “Esse direito [iuri sanguinis] (em latim, “direito de sangue”) não pode ser revogado porque está lá, dentro da Constituição”, complementa.

Segundo Ferro, uma vez aprovada, a alteração pode impactar o pedido de cidadania italiana por parte de cidadãos brasileiros, pois “diminuiria as gerações”: “Como o projeto exigiria que as pessoas tivessem o nível B1 de italiano, o impacto poderia ser bastante eliminatório sobre a questão das descendências”.

A CEO da Simonato Cidadania explica que, atualmente, algumas descendências no mercado já tem limite de gerações, como a espanhola e a portuguesa.

“Hoje, vemos muitas pessoas com dificuldades de fazer o reconhecimento da cidadania, pois sempre dependem do próximo membro que vier da linha familiar”, pontua. “Então, o avô precisa passar para o pai, que precisa passar para o filho e, às vezes, a quebra dessa linha acaba não atendendo ao direito da pessoa”, completa.

Segundo Ferro, o Brasil ainda teria ítalo-descendentes aptos para entrar com o pedido de cidadania mesmo após a aprovação do PL 752. “Apesar disso, o processo se tornaria mais burocrático e mais moroso”, considera. 

Para mais informações, basta acessar: https://www.simonatocidadania.com.br/

Posts Relacionados

A riqueza do varejo brasileiro, as tendências, as melhores práticas do mercado você só encontraca na Negócio e Franquia, descubra tudo sobre FRANQUIAS, SHOPPING CENTERS, EMPREENDEDORISMO, GESTÃO, NEGÓCIOS, CULTURA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E CONHEÇA AS POLÍTICAS PÚBLICAS para o mundo dos negócios.

Copyright @2024 – Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por 77Prime Labs

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Ler mais