Home Notícias Corporativas Dólar marca em julho maior valor desde janeiro de 2022

Dólar marca em julho maior valor desde janeiro de 2022

por DINO
0 comentário

O dólar abriu a segunda (1° de julho) com queda frente ao real nas primeiras negociações, ainda próximo de R$ 5,60, como mostra a publicação da InfoMoney. No último mês, a moeda americana subiu 6,46% e, no acumulado do ano, 15,14%. No dia 26 de junho, o dólar fechou em R$ 5,519, o maior valor desde janeiro de 2022.

Uma publicação recente da InfoMoney chamou a atenção para o fato de que a divisa ganhou força em uma sessão em que as declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva foram mal-recebidas por investidores, o que fez com que aumentasse a preocupação com a situação fiscal brasileira. Outro ponto destacado é que a moeda estadunidense se valorizou em escala global, repercutindo o posicionamento de integrantes do Federal Reserve dos EUA.

A cotação aumentou 1,20%, o maior valor desde 28 de janeiro de 2022, quando fechou a R$ 5,56. Durante o pregão, a máxima foi de R$ 5,526. Maurício Cardoso, assessor de investimento e especialista em mercado de ações e câmbio, explica que os principais fatores que impactam na variação cambial vêm das contas do governo são gastos e capacidade de endividamento, taxa de juros, balança comercial e o mais importante: confiança na gestão pública.

Cardoso possui vinte e um anos de experiência no mercado financeiro e já atuou em bancos nacionais e corretoras internacionais. Além disso, é especializado em bolsa de valores e câmbio.

banner

“O dólar é um instrumento de proteção e também de investimento ao redor do mundo e, aqui no Brasil, ele ainda é mais forte, principalmente porque o real é uma moeda exótica ao olhar do investidor estrangeiro”, afirma.

“Quando vemos esses movimentos recentes, vem novamente o tema de confiança. Quando voltamos ao início do novo mandato do ministro Haddad, o arcabouço apresentado por ele foi muito bem recebido pelo mercado, abrindo um voto de confiança em toda a equipe econômica, gestão pública e do próprio presidente Lula”, observa Cardoso.

O especialista observa que, com o passar do tempo, os investidores – principalmente internacionais – foram recebendo diversos insights de que a meta fiscal apoiada pelo arcabouço não seria tão concluída com êxito.

“Um ano depois, as notícias de que os gastos estão sendo ultrapassados, a inflação ainda muito difícil de conseguir controlar e as sucessivas declarações do presidente e seus ministros sobre o comando do BC (Banco Central) e sua habilidade no tema dos juros gerou muito incerteza futura quando ao Brasil no tema de contas e equilíbrio orçamentário”, articula Cardoso. “Isso gera preocupação e vem a demanda por proteção, compra de dólar”, completa.

Além disso, prossegue, um ponto que o Brasil também vem enfrentando é os juros americanos. “Em resumo, olhando os Estados Unidos com juros anuais por volta de 5%, qual investidor tem interesse em buscar o Brasil com nossa taxa a 10,50% ao ano?”, questiona. “Pela qualidade do título americano, que é considerado o mais seguro do mundo, essa taxa é atrativa a todos”, considera.

Para concluir, Cardoso ressalta que, enquanto houver juros altos nas treasuries americanas, o Brasil terá um pouco mais de trabalho para conseguir atrair investimentos. “Isso é apenas um ponto, pois o trabalho de gestão das contas, gastos e orçamentos tem que continuar e ser mais eficiente”, complementa.

Para mais informações, basta acessar: 

https://www.linkedin.com/in/maur%C3%ADcio-cardoso-0a659814?utm_source=share&utm_campaign=share_via&utm_content=profile&utm_medium=ios_app

Posts Relacionados

A riqueza do varejo brasileiro, as tendências, as melhores práticas do mercado você só encontraca na Negócio e Franquia, descubra tudo sobre FRANQUIAS, SHOPPING CENTERS, EMPREENDEDORISMO, GESTÃO, NEGÓCIOS, CULTURA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E CONHEÇA AS POLÍTICAS PÚBLICAS para o mundo dos negócios.

Copyright @2024 – Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por 77Prime Labs

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Ler mais