Home Empreendedorismo O mineiro que está transformando o repasse de franquias

O mineiro que está transformando o repasse de franquias

Com contribuições em administração, shopping e negócios, empreendedor se destaca por compartilhar conhecimentos com o portal Negócio e Franquia, referência para outros empresários

por Ana Raquel Lelles
0 comentário
O mineiro que está transformando o repasse de franquias

O sucesso do empreendedorismo está muito além dos lucros financeiros. “A pergunta crucial é: quanto disso realmente contribui para o ganho pessoal no final das contas?”, questiona o jornalista e empreendedor Rodrigo Campelo, mineiro que está transformando o repasse de franquias, que, há duas décadas, está à frente do portal Negócio e Franquia.

A resposta, para o empresário, o que deve mover os passos no mundo dos negócios é a “vontade de criar algo que faça a diferença”. Este é um sentimento que é construído com o tempo e maturidade. “O Sebrae tem um levantamento que demonstra que o empreendedor brasileiro tem em média 44,7 anos. Mas se tornar empreendedor é um treinamento que pode levar anos”, define. 

“O orgulho do empresário não está apenas nas vendas ou no faturamento, mas sim no resultado líquido que permanece em seu bolso. Muitas vezes, as pessoas focam na perspectiva de uma franquia que promete faturar R$ 1,2 milhão por mês ou por ano. Mas a pergunta crucial é: quanto disso realmente contribui para o ganho pessoal no final das contas? Essa é uma questão fundamental e primordial para alcançar resultados verdadeiramente satisfatórios”

– Rodrigo Campelo, empreendedor, jornalista e fundador e administrador do portal Negócio e Franquia

Campelo se destacou no empreendedorismo mineiro com o poder de adaptação e experimentação, além da criatividade e dedicação de compartilhar conhecimentos adquiridos com essas experiências. Por conta dessas vivências, ganhou o título de “empreendedor serial” por amigos e colegas de trabalho. 

Fotografia colorida de Rodrigo em um estúdio de podcast

A trajetória sólida do empreendedor mineiro inclui incursões no universo de shopping centers, além da criação e participação em diversos podcasts.

A trajetória sólida do empreendedor mineiro inclui incursões no universo de shopping centers, franquias e vendas, além da administração, editoria e produção do site, podcast e coluna em rádios. Os esforços de compartilhar conhecimentos dão resultado, com histórico de mais de 7 milhões de visualizações em matérias online somente em 2023.

banner

E vai além disso, ao longo dos últimos anos elaborou, criou e desenvolveu o curso de Especialização em Gestão de Franquias pela PUC Minas, considerada a maior universidade católica do mundo.  E o destaque não acaba por ai. Além de ser um dos poucos cursos híbridos com atenção focada ao franqueado e ao franqueador. O curso tem sido referência e tem recebido alunos de diversos estados. “conseguimos algo inédito, fortalecer ainda mais com conhecimento o mercado de franquias e mostrar para pessoas interessadas que é um mercado forte e organizado“, destaca Campelo.

Em nova embarcada, Campelo, como um visionário, explora uma área negligenciada no cenário empresarial: o repasse de franquias. Desde 2020, vem se dedicando expertise ao estudo aprofundado desse nicho, onde franqueadores e franqueados enfrentam desafios únicos. O resultado é uma plataforma especializada metodologia Prosper, que visa oferecer segurança e padronização ao processo de compra e venda de franquias. 

A ferramenta está sendo desenvolvida pela equipe Prosper Negócios, cujo nome vem da palavra ‘Prosperar’ e foca em levar os clientes a um novo patamar de sucesso, missão que vem sendo cumprida com excelência. Com esse time de peso, a plataforma terá como objetivo ajudar a Prospectar clientes focados em comprar operações em funcionamento, atualmente a empresa atua no setor de franquias e shoppings especializada em capacitação e expansão.

Começo da carreira

Esse padrão de empreendedorismo de Campelo vem da infância. Cresceu em Belo Horizonte, admirando a dedicação dos pais, no trabalho, em que a mãe era funcionária pública estadual e o pai atuava no âmbito federal. Insatisfeito com a falta de apreço dos governos pelos trabalhadores, decidiu embarcar no ramo empresarial, a começar com a venda de chaveiros, ainda na infância. Nesta época, usava storytelling para conquistar os clientes, já que não tinha um bom fornecedor nem um bom preço. “Foi o primeiro passo que eu dei no ambiente empreendedor”, define Rodrigo. 

Desde então, segue este lema de unir o empreendedorismo ao “contar histórias”, jeito típico de mineiros, para trabalhar, investir, negociar e compartilhar conhecimentos. Atuou como bancário, trabalhou em empresas de publicidade e até como produtor de TV, onde foi demitido de uma forma desagradável que sucedeu uma epifania. Com essas experiências, percebeu que muitos faziam o “mínimo” nas funções e decidiu se tornar o “patrão”, começando, assim, oficialmente a trajetória no mundo empreendedor.

Background no jornalismo

Começou a graduação em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo, em 1998 em Montes Claros. Em 2000, transferiu-se para a PUC Minas, aprimorando, ao mesmo tempo, um comunicador e empreendedor. 

Certa vez, em uma aula, um professor perguntou: “Por que escolheu o jornalismo e quem é sua inspiração no na profissão?”. A pergunta clichê não surpreendeu os alunos, que já tinham uma resposta na ponta da língua. “William Bonner e Fátima Bernardes” disse boa parte da turma, na época, o casal de jornalistas apresentava o principal programa de jornalismo da época, e eram considerados os maiores influenciadores do país.  

A resposta de Rodrigo se destacou por ser diferente: “Eu quero ser igual ao Roberto Marinho”. Ele defendeu que gostaria de administrar o talento de todos os outros colegas de turma. Já que todos se consideram ótimos jornalistas, alguém teria que ser o empresário por trás da produção de conteúdo e notícias.

Formou-se pensando que “mudaria o mundo”, em 2002. “Achava que o conhecimento que eu tinha na universidade era o suficiente para transformar o ambiente ao meu redor. Pura ilusão. Porque a gente sai com uma teoria e, na prática, é bem diferente”, disse. 

Depois dessa descoberta, fundou a Finni Comunicação, que chegou a ter até 13 funcionários. Mas, após uma série de problemas de gestão, precisou fechar. Voltou a trabalhar com outras pessoas e, então, mergulhou de cabeça nos negócios. 

Carreira empresarial

Com os aprendizados de atuação em iniciativas privadas, fundou a Due Consultoria e o Bernardo Araújo, filho do então presidente da Drogaria Araújo, foi o primeiro cliente. Desse trabalho nasceu uma amizade forte, que é mantida até os dias de hoje. 

Foi então que recebeu o convite para cuidar, sozinho, da expansão e comercialização de um Montes Claros Shopping. Topou o desafio e tinha um prazo de 18 meses para convidar e convencer os lojistas de que aquele empreendimento seria um bom negócio. A surpresa foi que o poder de conversar e fortalecer relações, ajudou em 12 meses concluir 95% da comercialização, tempo menor do que o esperadoTudo o que sei sobre shopping, aprendi neste período”, conta. 

Ao final deste projeto recebeu o convite para trabalhar na comercialização do Betim Shopping por um tempo, ganhou força e passou a ser o Gerente Geral até que assumiu a cadeira de superintendente. 

Voltou ao Montes Claros Shopping, com uma visão diferente, mais madura. Entre análises, chegou a conclusão que a fraqueza do espaço estava na administração dos lojistas “porque muitas vezes não tinham conhecimento e queriam uma resposta rápida”. Para ele, “muitas vezes o erro estava dentro da própria operação”. Essa experiências foram primordiais para os próximos passos da carreira dele, incluindo a fundação do Negócio e Franquia. 

Fundação do Negócio e Franquia

O mineiro que está transformando o repasse de franquias. Fotografia colorida com Rodrigo Campelo segurando o boné da Negócio e Franquia e sorrindo.

Hoje, o portal alcança mais de 2 milhões de acessos e mais 7 milhões de páginas lidas mensalmente

Juntando o que aprendeu, entre erros e acertos na carreira, começou a escrever um blog, em 2002, com um pseudônimo, com dicas para ajudar lojistas e outros empreendedores, ao lado do primo Ricardo Prado.“Eu trazia muito conteúdo sobre gestão, dia a dia de shopping, os problemas que os lojistas apresentavam, e tudo mais”, definiu Campelo, que até hoje cuida da gestação e curadoria dos conteúdos do Negócio e Franquia.

Com orientações de colegas ligados à tecnologia, saiu do modelo “blog”, foi para o modelo “site”, e, agora, se tornou um portal de notícias. Nesta época, criou o projeto com o maior grupo de comunicação de Minas Gerais, Jornal O Tempo, no período em que estavam fundando a primeira rádio FM do conglomerado. A ideia foi do parceiro Heron Guimarães, diretor do grupo de comunicação. “Vamos colocar esse conteúdo para mais pessoas. Você que diz que o conhecimento, transforma, crie algo que possa transformar a vida de muitas pessoas“, relembra, Campelo.

Assim nasceu a  ‘Coluna Independente da Negócio e Franquia’, que tocava em rádios de Minas Gerais levando conteúdo e informações. Também começou a desenvolver um podcast. Hoje já são mais de 300 emissoras de rádio espalhadas pelos 4 cantos do país recebendo o conteúdo sobre franquias, shoppings e sobre o mercado.

“A criação do portal Negócio e Franquia foi um resgate da minha formação em jornalismo. Eu podia ser mais objetivo, bater sem dó. A grande lição é que o portal trouxe informações muito relevantes sobre o mercado. Por exemplo, quando a área de saúde, estética e beleza bombam no ano seguinte, a gente conseguiu perceber essa mudança antes, com detalhes
– Rodrigo Campelo, empreendedor, jornalista e fundador e administrador do portal Negócio e Franquia

Voltando às raízes dos pais, o portal que nunca tinha recebido nenhum tipo de publicidade e incentivo, foi percebido pelo Governo de Minas Gerais, que se tornou o primeiro cliente de mídias sociais do portal. Mas, vale lembrar que não foi da noite para o dia.

Hoje, o portal alcança mais de 2 milhões de acessos e mais 7 milhões de páginas lidas mensalmente. Este é um orgulho para Campelo, que sente que alcançou o objetivo do projeto de levar conteúdo e conhecimento para os lojistas de shoppings.  

Renascimento

Em paralelo ao nascimento do Negócio e Franquia, outros negócios nasciam na vida de Rodrigo. Como a Prosper Negócios, fundada em 2014, ao lado do amigo Milton Montenegro, com o intuito de vender imóveis. Mas, com o tempo, o foco se tornou ser uma empresa responsável pela expansão de franquias e ajudar as franqueadoras a entrar em Belo Horizonte, Contagem, e em Minas Gerais, de uma forma geral.

“A gente se posicionou nisso num período em que praticamente não existia nada e ninguém nesse sentido e a gente fez expansão para muitas marcas e o que nos acabou nos tornando reconhecidos nesse sentido”, comenta Rodrigo Campelo. O conhecimento deste período é um grande guia para as decisões atuais do empresário. 

Infelizmente, em meio a tanta prosperidade, uma mudança afetou a vida do empresário, em 2018. Campelo, que é diabético, desde os 7 anos, teve uma alteração na doença e precisou ser internado. Quase morreu. Foi entubado e, como ele mesmo diz, “viu vovó pela greta”

Durante o processo de recuperação, mesmo com os movimentos restritos, atendeu ao pedido de um amigo para ajudar numa indústria que tinha como foco a produção de pães naturais. Com o tempo, reestruturaram o negócio e transformaram a empresa de pães em uma indústria fantasma em Contagem, responsável pela produção de massas de pizzas para diversas redes e unidades de franquias em Minas Gerais.

O mineiro que está transformando o repasse de franquias
Rodrigo tem uma vasta experiência com administração e comercialização de shoppings
Fotografia colorida de Rodrigo em escritorio
O empresário, ao longo da carreira, investiu bastante em criação de empresas
Fotografia colorida de Rodrigo O mineiro que está transformando o repasse de franquiasentrevista
Além de professor e empresário, o jornalista também palestra sobre empreendedorismo

Repasse de Franquia

Foi este background que levou Rodrigo Campelo a identificar uma lacuna de investimento na área de repasse de franquias. Diante dessa oportunidade, vem a plataforma com a metodologia Prosper que estabelece padrões e regras para facilitar a compra e venda de franquias, com segurança tanto para franqueados, interessados e franqueadores.  

“A plataforma foi sendo desenvolvida ao longo dos tempos. As pessoas buscavam informações e queriam ajuda. Eu não tinha planos de ajudar naquela época, mas fui percebendo algumas falhas e decidi conversar com franqueadores. Muitos franqueadores mentem sobre os números e isso me fez querer criar algo que trouxesse os dados para dentro de um ambiente seguro e restrito mas com alta capacidade de divulgação. A metodologia criada acabou ganhando o nome da empresa, metodologia Prosper”
– Rodrigo Campelo, empreendedor, jornalista e fundador e administrador do portal Negócio e Franquia

Campelo tem levantado uma discussão sobre a falta de transparência no repasse de franquias. Ele explica que muitas das franqueadoras, por exemplo, hesitam em divulgar a real quantidade de pessoas interessadas em repassar suas operações, receando que isso prejudique a imagem da marca. 

Isso é contraditório, visto que a maioria dos franqueados que desejam sair estão mais preocupados em resolver seus problemas do que em manter a reputação da franqueadora. Vale lembrar que o repasse de franquias não se limita apenas a motivos financeiros. Há outras diversas razões, como problemas de saúde, mudanças de vida, falta de sucessores, entre outras. 

Além disso, Campelo ressalta que muitos franqueadores divulgam informações incorretas sobre a taxa de repasse. E ele acredita que, com base em estudos, a realidade está mais próxima de 25% a 30% das franquias com potencial de repasse. 

É aí que a Metodologia Prosper se faz ainda mais necessária. A plataforma foi baseada nos critérios de franchising: Padronização, transferência de conhecimento e capacidade de expansão

Com lançamento previsto até março de 2024, a plataforma oferecerá um sistema de acesso que proporciona ao franqueador a proteção da sua marca, ao franqueado a exposição necessária para atrair interessados, e aos potenciais compradores a oportunidade de adquirir uma franquia de forma mais acessível. E, também, faz um cálculo correto antes do anúncio ir ao ar.  Usando inteligência Artificial, muita tecnologia para fazer a melhor entrega possível, como ressalta o próprio empreendedor serial.

A proposta busca proporcionar uma padronização no processo de repasse, seguindo os três pilares fundamentais da franquia: padronização, capacidade de expansão e transferência de conhecimento. A ideia é que os franqueadores possam adotar facilmente esse modelo, evitando a necessidade de criar e desenvolver seus próprios processos.

=======================================================================================================

Gostou deste conteúdo? Visite o portal, e descubra que existem muitas informações importantes que podem te ajudar a tomar a melhor decisão na hora de empreender.  Compartilhe com amigos e familiares e siga a gente nas redes sociais. A Negócio e Franquia está no Instagram, no Linkedin. Você pode acompanhar no canal do Spotify e até mesmo baixar as músicas do Playlist do empreendedor. Se inscreva no Canal do Youtube e acompanhe a coluna independente na FM O Tempo.

Posts Relacionados

A riqueza do varejo brasileiro, as tendências, as melhores práticas do mercado você só encontraca na Negócio e Franquia, descubra tudo sobre FRANQUIAS, SHOPPING CENTERS, EMPREENDEDORISMO, GESTÃO, NEGÓCIOS, CULTURA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E CONHEÇA AS POLÍTICAS PÚBLICAS para o mundo dos negócios.

Copyright @2024 – Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por 77Prime Labs

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Ler mais