Home Notícias Corporativas Estudo aponta que indústria do cloro deve crescer

Estudo aponta que indústria do cloro deve crescer

por DINO
0 comentário

Um estudo recentemente divulgado pela Abiclor (Associação Brasileira da Indústria de Álcalis, Cloro e Derivados) revela que o segmento do cloro, destravado principalmente pela economia verde, deve receber 600 milhões de dólares em investimentos no curto e médio prazo. Com políticas específicas e mais articulações entre os players na cadeia de valor, o que se espera é um mercado mais aquecido.

Matéria do Valor Econômico revela que, com 1,5 milhão de toneladas por ano de capacidade instalada, a indústria brasileira responde por 2% da capacidade mundial – que é liderada pelos chineses, com 43 milhões de toneladas anuais. Hoje essa indústria opera com ociosidade de 20%.

Um dos principais fatores que impulsionam o crescimento do mercado de cloro são os usos crescentes na indústria farmacêutica. Na área da saúde, 93% de todos os produtos farmacêuticos contam com a química do cloro, incluindo-se os medicamentos para o tratamento de doenças do coração, câncer, AIDS e muitas outras moléstias que ameaçam a vida.

Segundo José Rosenberg, diretor-presidente da Katrium Indústrias Químicas (Rio de Janeiro), as pessoas costumam associar o cloro ao tratamento de piscinas, à desinfecção de água para abastecimento público e à limpeza de banheiros e cozinhas. Mas, seu uso na indústria química é bem mais amplo do que isso, entrando na composição de inúmeros produtos. Um dos principais usos é o PVC, que é um plástico com características ímpares.

banner

O executivo diz que o PVC vem substituindo produtos feitos de vidro, madeira, alumínio, borracha, cobre, alvenaria e cerâmica. Por isso tem tantas aplicações e é considerado uma opção que contribui para melhor qualidade de vida e desenvolvimento sustentável.

“O PVC contém 57% de cloro – obtido através da passagem de uma corrente elétrica pelo sal marinho (recurso natural inesgotável) – e 43% de eteno, que é um derivado do petróleo. Além de ser largamente usado na indústria da construção, também é usado em equipamentos na área de saúde e em tantas outras finalidades”, diz Rosenberg.

O especialista da indústria de cloro afirma que também o poliuretano leva o produto em sua composição e é amplamente usado na fabricação de espumas rígidas e flexíveis, selantes, fibras, preservativos, carpetes, peças de plástico rígido, tintas etc. Na opinião de Rosenberg, o cloro é uma das substâncias mais importantes da Indústria Química, já que também faz parte – direta ou indiretamente – de outros segmentos da indústria.

“Além dos produtos sanitários e dos materiais plásticos, o cloro é fundamental na produção de solventes orgânicos, na produção de inseticidas que fazem o controle de pragas nas lavouras, na fabricação de produtos farmacêuticos e veterinários, e na depuração de águas residuais – evitando a proliferação de bactérias em esgotos e, consequentemente, controlando o mau cheiro e outros riscos à saúde”, conclui.

Fonte: José Rosenberg, diretor-geral da Katrium Indústrias Químicas

Posts Relacionados

A riqueza do varejo brasileiro, as tendências, as melhores práticas do mercado você só encontraca na Negócio e Franquia, descubra tudo sobre FRANQUIAS, SHOPPING CENTERS, EMPREENDEDORISMO, GESTÃO, NEGÓCIOS, CULTURA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E CONHEÇA AS POLÍTICAS PÚBLICAS para o mundo dos negócios.

Copyright @2024 – Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por 77Prime Labs

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Ler mais